Buscar

A lei dos filtros na Noruega - e porque isso é tão relevante.


A influência da publicidade enganosa e da pressão estética tem sido tão nociva para os jovens noruegueses que agora é ilegal no país compartilhar imagens alteradas digitalmente sem sinalização.


Todas as fotos que alterem o formato do corpo ou sejam retocadas precisam seguir a nova lei.


Qualquer característica física alterada com o uso de filtros também será punida.

A pena para quem descumprir a regra pode levar à prisão.

Entrou em vigor na Noruega uma emenda para a Lei de Marketing 2009, que proíbe que influenciadores digitais, celebridades ou qualquer pessoa que receba pagamento ou outro benefício para criar anúncios nas redes sociais, compartilhem imagens retocadas sem sinalização.


A iniciativa é uma resposta a intensa pressão estética que tem atingido os jovens no país, e visa criar redes sociais mais autênticas e evitar o crescimento dos índices de dismorfia corporal.

Com a sinalização o governo norueguês espera que o público entenda que as imagens corporais apresentadas são irreais e não devem se tornar ideais de beleza (pois sequer existem). Todas receberão um selo criado pelo Ministério da Criança e da Família.


“A pressão estética sempre está lá, muitas vezes imperceptível e difícil de combater. Esperamos que essa medida seja uma boa contribuição para o impacto negativo que a publicidade tem, principalmente nos jovens” - declarou o ministro norueguês em nota.


Infelizmente já faz um tempo que sabemos como a nossa exposição a esse tipo de conteúdo muda o jeito com que encaramos nossa autoimagem, gerando vários tipos de distúrbios de imagem.


No Brasil, como já citado em uma pesquisa global feita pela Dove, 35% das jovens brasileiras de 13 anos se sentem "menos bonitas" ao ver postagens de influenciadoras e celebridades nas redes sociais. Vale lembrar que grande parte dessas imagens são retocadas e não tem nenhum tipo de regulamentação.


Fica o meu alerta e a minha torcida (um pouco utópica) para que nossos governantes percebam essa necessidade urgente de criar normas mais duras sobre a publicação desse tipo de imagem.



0 comentário

Posts recentes

Ver tudo